Categoria:Finanças

PIS Cofins 2022: Cálculo, Tributação, Unificação e Valor

Sabendo que existem muitas pessoas que não conhecem tudo sobre o PIS Cofins 2022, decidimos esclarecer bem o assunto. Para isso, reunimos as informações mais importantes e esclarecemos todos os seus componentes. Então continue lendo para saber o que é o PIS Cofins 2022 e quais as suas finalidades.

PIS Cofins

Uma contribuição que foi constituída pela Lei Complementar de n.º 70/1991, a Contribuição para Financiamento da Seguridade Social agora está junto ao PIS.

Ainda que exista muitas pessoas que não conheçam de forma clara como são feitas essas contribuições, elas são essenciais para os trabalhadores que estão dentro de uma empresa.

São dois tributos que tem como finalidade financiar a seguridade social dos brasileiros. Por isso, sua contribuição deve ser feita de acordo com os gastos e insumos de cada empresa. Sendo necessário uma base de cálculo para sua definição.

Unificação do PIS Cofins 2022

Atualmente, podemos contar com a unificação do PIS PASEP 2022, desde o ano de 2016, os tributos passaram a andar de mãos dadas. O principal motivo para que acontecesse essa unificação, era de está simplificando o recolhimento desses valores.

Sabendo que isso também traria um alavancar entre os créditos de suas modalidades, surgiu essa necessidade.

Outro ponto também, é que ao agregar as leia de dois tributos em uma, a quantidade de formulários exigidos foram reduzidas, tornando a unificação aprovada.

Quem paga o PIS Cofins 2022

Depois de algumas mudanças, muitas pessoas ainda ficaram em dúvidas sobre quem tem direito ao PIS 2022. Esse tributo federal deve é imposto a ser pago pelas pessoas jurídicas.

Atualmente, contamos com dois tipos de contribuições para essas empresas Veja detalhes:

Recolhimento Cumulativo: dentro das regras do Lucro Presumido, sua base de cálculo é sobre o faturamento bruto.

Recolhimento Não Cumulativo: para o não cumulativo, é preciso contar com o faturamento mais os valores das compras feitas dentro daquele período.

Sabendo de seus principais pontos entre os recolhimentos, é preciso estar atento para as bases de cálculos e suas porcentagens referente a cada um deles.

Valor tributário do PIS Cofins 2022

Como já falamos a quem esse tributo é direcionado e quais são as suas formas, é preciso entender como foi estabelecido também, o valor tributário do PIS Cofins 2022.

Contando com cada característica respectiva, é preciso está levando em conta suas alíquotas.

Como já falamos anteriormente, suas formas de recolhimentos são diferentes. E para cada uma delas, é definido uma porcentagem base para que seja feito os cálculos juntamente com as movimentações da empresas dentro daquele período.

Para o recolhimento do PIS Cofins cumulativo, é estabelecido 0,65% e 3% respectivamente. Já no não cumulativo, as alíquotas do PIS Cofins são 1,65% e 7,6% respectivos.

Cálculo PIS Cofins 2022

Ciente das taxas que são estabelecidas para cada modalidade, chegou a hora de entender como você pode está fazendo os cálculos do PIS Cofins 2022 de sua empresa.

Lembrando que esses recolhimentos não são aplicados para os representantes de microempresas. Isso se dá ao fato de que elas estão dentro do Sistema Nacional Simples, que as privam desse pagamento, para melhor desenvolvimento e concretização de sua legalização.

Ciente disso, saiba a seguir como calcular seu PIS Cofins 2022, veja:

➜ Recolhimento Cumulativo

Obtenha os valores do seu faturamento bruto referente ao seu período e multiplique pelas alíquotas definidas para o PIS Cofins, exemplo: Valor do faturamento multiplicado por 0,65%, valor do faturamento multiplicado por 3%. Esses serão seus resultados.

➜ Recolhimento Não Cumulativo

Obtenha os valores do seu faturamento bruto, mais gastos e multiplicar cada um com o PIS e Cofins, exemplo: valor do faturamento multiplicado por 1,65%, valor de gastos multiplicado por 7,6%; em seguida, retire do primeiro resultado, o valor do segundo. Esse será o seu valor.

CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO

Iniciativas do Governo Federal para combater a pobreza

O programa Bolsa Família é uma iniciativa do Governo Federal que tem como principal objetivo auxiliar o acesso dos estudantes considerados de baixa renda à educação. Desta forma, milhares de famílias brasileiras são contempladas mensalmente com uma bolsa auxilio em dinheiro como um método de manter os alunos nas escolas.

O programa foi criado no ano de 2003, no governo do atual presidente na época Lula juntamente com o programa Fome Zero e, apesar de ser objeto de diversos questionamentos, vem de fato maximizando a presença de alunos nas escolas.

Todos os contemplados com o Bolsa Família recebem do governo um cartão, cujo qual oferece a seus portadores algumas vantagens e benefícios em dinheiro. Pode-se dizer que o benefício em dinheiro proporcionado por meio do Bolsa Família é um tanto quanto considerável, tendo em vista que muitas das famílias que são contempladas com tal benefício vivem abaixo da linha da miséria, ou seja, são em sua maioria famílias que possuem renda mensal per capita em torno de R$ 10,00 a R$ 140,00.

Renda essa considerada extremamente baixa, mas que consegue auxiliar em algumas contas, principalmente para a classe mais baixa, onde muitas vezes colocam seus próprios filhos para trabalhar para assim, completar a renda familiar.

Desta forma, este programa trabalha em duas vias consideradas problemáticas no Brasil, a pobreza e a educação. Desta forma, o programa atua na redução da pobreza e, ao mesmo tempo promove a educação, uma vez que para receber tal benefício os alunos devem não somente estar matriculados nas escolas, como também frequentando as aulas. Para o ano que vem o Governo Federal promete uma expansão por conta da nova iniciativa chamada de “Brasil sem Miséria” que tem o objetivo de auxiliar as pessoas com renda inferior a R$ 70,00 mensais.

As inscrições para o Bolsa Família 2022 já podem ser realizadas no site oficial do programa. Para quem se interessou, também pode procurar os Centros de Referência de Assistência Social – CRAS de seu município portando dos documentos:

  • Documento de identificação civil para cada membro da família (RG, certidão de nascimento, CPF, dentre outros);
  • Documento de identificação civil do responsável pela família;
  • CPF ou Título de eleitor do responsável pela família.

Vale lembrar que, além do benefício de Bolsa Escola, é concedido através do programa os benefícios de Auxilio Gás e Bolsa Alimentação. O calendário do programa também já está disponível e pode ser conferido no site oficial da Caixa no endereço eletrônico www.caixa.gov.br/Voce/Social/Transferencia/bolsa_familia/calen_pag.asp. Nele poderão ser vistos todas as datas dos pagamentos a serem efetuados pelo programa.

CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO

Semana Nacional de renovação de bloquetos

Nos últimos anos, com o crescimento do parcelamento das contas, das compras e cartão de crédito ou mesmo em ambiente virtual, o uso de boletos eletrônicos para o pagamento de contas se tornou cada vez mais importante. O que muito poucas pessoas estão conscientes até então é que, em caso de atraso do pagamento do boleto, é possível solicitar uma segunda via do documento para regularizar a situação uno à empresa prestadora de serviços. Por isso foi criada a semana nacional para renovação de boletos, que divulga a possibilidade de renovação de boletos bancários e da emissão de segunda via para o pagamento de contas.

Reemissão de boletos bancários

A impressão de segunda via de boletos bancários é um serviço gratuito oferecido pela grande maioria dos bancos, que permite ao cliente o pagamento de contas em atraso. Muitos clientes, ao atrasar o pagamento de uma conta são impedidos de realizar o pagamento desta, pois é necessário recalcular o calor da fatura levando em conta os juros cobrados pelo atraso do pagamento.

A emissão da 2 via do boleto Caixa é justamente o serviço de recálculo do valor a ser pago, mas muitos clientes desconhecem esse serviço, e acabam se tornando inadimplentes, e ficam com o nome sujo na praça, impedidos de realizar novas operações de crédito. O objetivo dessa campanha é justamente reduzir esse equívoco das pessoas, e estimular a renovação de bloquetos para o pagamento em atraso de faturas pendentes. Essa iniciativa conta com o apoio da maioria dos bancos do país, e será divulgada a partir do dia 23 de fevereiro de 2015 em agências bancárias e postos de atendimento.

Espera-se que o resultado da ação estimule o crescimento do comércio eletrônico, que muitas vezes é freado pelo medo das pessoas de perder o prazo de pagamento dos boletos bancários para a efetivação de contas, e em vários outros casos, como faturas e pendências maiores.

Ação conjunta para divulgação do serviço

A iniciativa da criação da Semana Nacional de Renovação de Bloquetos foi uma iniciativa de diversos bancos para divulgação do serviço prestado pela maioria das agências bancárias, para estimular o uso do serviço e reduzir a taxa de inadimplência dos clientes que se encontram em débito. Entre as entidades que participam do evento, se destacam:

  • Atualizar Boleto Caixa Econômica Federal;
  • Segunda Via Boleto Banco do Brasil;
  • Segunda Via Boleto Sicoob;
  • Segunda Via Boleto Banrisul;
  • Segunda Via boleto Sicredi;
  • Entre outros.

A partir desse evento, a sociedade bancária espera estimular o aumento de até 25% do cadastro de clientes em ferramentas de atualização de boletos bancários, possibilitando a redução significativa de cidadãos inadimplentes com o sistema bancário Nacional.2 via do boleto

CONSULTE MAIS INFORMAÇÃO